Celulares do RN ganharão dígito 9 a partir de amanhã (31/05)

celular-nono_digitoA partir de amanhã (31) todos os números dos telefones celulares com código de área 84, do Rio Grande do Norte, ganharão um dígito a mais. O aviso com o cronograma de adoção do nono dígito foi publicado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no Diário Oficial da União e a partir do dia 31 de maio, o dígito nove será acrescentado à esquerda dos números atuais. Com a mudança, os contatos do Rio Grande do Norte terão o seguinte formato: (84) 9XXXX-XXXX.

A mudança é obrigatória e deverá acontecer automaticamente em todos os números de telefonia móvel com o DDD 84 do Rio Grande do Norte. Planos de serviço de telefonia fixa e Serviço Móvel Especializado, o conhecido “rádio” não sofrerão alterações, bem como o saldo e a validade dos créditos pré-pago ou controle que também não serão alterados com a mudança. A Anatel regulamenta que é dos clientes a responsabilidade por atualizar a agenda de contatos.

Nessa fase inicial de mudança, que durará 40 dias, ficará a critério das operadoras completar as ligações com oito dígitos, para adaptação das redes e usuários, e a estratégia é gradualmente promover interceptações no início das ligações, no que os usuários receberão mensagens com orientações sobre a nova forma de discagem. Mensagens de SMS também já estão sendo encaminhadas pelas operadoras aos usuários com orientações.

Depois deste período inicial, as chamadas feitas com oito dígitos não serão completadas e os usuários serão orientados a usar a nova numeração. Mensagens SMS e MMS não serão enviadas se forem usados oito dígitos depois do período inicial. Após 9 de setembro, as chamadas feitas sem o nono dígito não serão completadas e os usuários ouvirão a mensagem de número inexistente.

Além do Rio Grande do Norte, os estados de Alagoas (DDD 82), Ceará (DDDs 85 e 88), Paraíba (DDD 83), Pernambuco (DDD 81 e 87) e Piauí (DDD 86 e 89) também terão a adoção do nono dígito a partir de amanhã. A mudança nos códigos de acesso do serviço móvel pessoal faz parte da estratégia da Anatel para aumentar a disponibilidade de números de celulares e atender à crescente demanda de novos usuários no Brasil. Até agora o nono dígito já foi implantado nos estados do Amapá (DDD 96), Amazonas (DDDs 92 e 97), Espírito Santo (DDDs 27 e 29), Maranhão (DDDs 98 e 99), Pará (DDDs 91, 93 e 94), Rio de Janeiro (DDDs 21, 22 e 24), Roraima (DDD 95) e São Paulo (com DDD 11 a 19). Para todos estes estados a inclusão do dígito deverá ser no número imediatamente ao do DDD.

 Mudança também nos aplicativos sociais

A mudança deve atingir também usuários de sistemas e redes sociais que vinculam seus cadastros a telefones. Redes sociais como Google+, Facebook, Twitter, Instagram já estão adaptadas aos novos padrões de numeração com nove dígitos mais DDD. De toda forma, os usuários também deverão alterar seus números nas configurações de perfil de cada sistema, principalmente nos casos em que é pedido o número de telefone para validação do acesso aos serviços.

Já para serviços de mensagens instantâneas para celulares, como Telegram, WhatsApp e Viber, que utilizam os registros da lista de contatos do aparelho, os usuários devem incluir o nono dígito ao verificar novamente o número para que os aplicativos registrem essa mudança na base de dados. Também é preciso conferir e atualizar o cadastro nos aplicativos, caso ocorra necessidade de retorno aos serviços.

Além dessa mudança inicial, os usuários também devem ficar atentos para atualizar o cadastro nos serviços de e-mail que utilizam o número de telefone para validação de login. E essa orientação torna-se muito válida para a inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio, que abriu inscrições essa semana. Além dessa alteração, portadores de cartões de apresentação deverão atualizar seus números para inclusão do nono dígito.

A transição para telefonia com nove dígitos parece ser abrangente mas, segundo orientações das empresas fornecedoras de serviços vinculados à telefonia móvel, seus sistemas já estão adaptados às mudanças. A questão é quanto aos usuários, que terão de se adaptar nesses próximos quarenta dias.

Este conteúdo foi postado na categoria Notas. Link permanente.