Roberto Jeferson é eleito novo presidente da Associação dos Músicos Ourobranquenses

O educador físico Roberto Jeferson foi eleito hoje presidente da Associação Comunitária dos Músicos Ourobranquenses (ACOMO). A eleição com chapa única ocorreu neste domingo (02) na sede da da referida associação. A chapa formada por Roberto Jeferson – Presidente e José Fabrício – vice obteve 100% dos votos. Em breve será divulgado a data da posse da nova direção.

Veja a composição da nova direção:

Presidente – Roberto Jeferson
Vice – José Fabrício
Secretário – Ademir Santos
Vice-secretária – Meirielle Santos
Tesoureiro – Rai Ramos
Vice-tesoureiro – Whenderson
Conselho Fiscal – Titulares: Marlito, Francielio e Artur
Suplentes: Samoel, Agenor e Iuri.

Comentários desativados em Roberto Jeferson é eleito novo presidente da Associação dos Músicos Ourobranquenses

Choveu 228 mm nos três primeiros meses do ano em Ouro Branco-RN

Segundo informações repassadas pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Adriana Sousa, o pluviômetro do sindicato registrou 228mm nos três primeiros meses do ano em Ouro Branco. Em janeiro não foi registrado nenhuma precipitação pluviométrica em Ouro Branco. Já o mês de março foi o mais chovido, foi registrado 126 mm.

Confira os registros pluviométricos no ano de 2017 em Ouro Branco:

Janeiro – 0,0 mm
Fevereiro – 98,4 mm
Março – 126,9 mm
Abril – 3,0 mm
Acumulado de chuvas até 02 de abril de 2017 – 228,3 mm

Priorado News

Comentários desativados em Choveu 228 mm nos três primeiros meses do ano em Ouro Branco-RN

Prefeitura de Ouro Branco paga funcionalismo em dias pelo 50º mês seguido

Mantendo a tradição, a Prefeitura de Ouro Branco – RN realizou o pagamento aos seus 237 funcionários, tanto efetivos quanto comissionados e demais vínculos, dos salários da competência março de 2017 para o dia 31 de março.

A informação repassada pela Secretária de Administração e Planejamento, através do canal oficial no Telegram, discrimina o total de precisamente R$ R$ 320.550,51 (trezentos e vinte mil, quinhentos e cinquenta e cinco reais e cinquenta e um centavos), que são injetados na economia da cidade com o pagamento desta competência. A secretaria informa que o total representa uma diminuição de 6,6% com relação ao pagamento de março de 2016.

Segundo a publicação, o dinheiro ficou disponível nas contas dos servidores pela agência do Banco do Bradesco na noite desta sexta-feira. Portanto, os funcionários já podem se dirigir ao caixa eletrônico para sacar seus rendimentos agora pela manhã.

A prefeitura também confirmou, através do seu Twitter oficial, que o pagamento está sendo realizado em dias. Desde fevereiro de 2013 o pagamento dos servidores da prefeitura tem sido feito rigorosamente até o final de cada mês da respectiva competência, por 50 meses seguidos, o que tem se tornado uma marca de compromisso da atual gestão para com o funcionalismo municipal. Poucas prefeituras no Nordeste tem conseguido sustentar essa marca.

Comentários desativados em Prefeitura de Ouro Branco paga funcionalismo em dias pelo 50º mês seguido

Secretaria de Saúde divulga o cronograma de vacinação contra a INFLUENZA (gripe) em Ouro Branco

A INFLUENZA (Gripe), é uma das doenças virais mais contagiosas por vias respiratórias e a forma mais eficaz de prevenir a forma mais grave é a vacinação.

Em nosso município a campanha acontecerá a partir do dia 10 se estendo até o dia 19, do mês de Abril.

Com a seguinte observação:

No PSF I – SERÁ REALIZADA A VACINA EM ADULTOS;
No PSF II – SERÁ REALIZADA A VACINA EM ADULTO E CRIANÇA.
Público alvo – prioridades: maiores de 60 anos, crianças entre 6 meses e cinco anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres que tiveram bebês) com até 45 dias após o parto, professores em atividade, pessoas portadores de doenças crônicas (HIV, DIABETES, HIPERTENSÃO, PROBLEMAS CARDIOPÁTICOS…), trabalhadores da saúde.

O DIA D será em dois momentos:

06 de maio (sábado)
10 de maio (quarta-feira)

Algumas medidas de prevenção podem afastar o vírus da gripe.

A vacinação é considerada o cuidado mais importante. Como cuidados contínuos, podemos também deixar o ambiente mais ventilado, habitualmente fazer a lavagem das mãos que transmitem de forma indireta o vírus, além de outros cuidados de higiene pessoal.

A maioria das doenças transmissíveis podem ser evitadas com medidas de higiene.
Agradecemos a compreensão da comunidade, e estamos a disposição para maiores esclarecimentos.

Luciana Azevedo
Secretária de Saúde

Comentários desativados em Secretaria de Saúde divulga o cronograma de vacinação contra a INFLUENZA (gripe) em Ouro Branco

Ourobranquense escreve seu quarto livro após aposentaria

Após longos anos de caminhada dedicados ao estudo, a família e a profissional, o auditor-fiscal aposentado, Manoel Lucena, decidiu dedicar um pouco do seu tempo livre para colocar no papel seus conhecimentos sobre a espiritualidade. E em menos de dois anos, Manoel Lucena acaba de finalizar seu quarto romance, intitulado de Planeta Avarus. Suas outras obras literárias são: Entre um Despertar e Outro, Fim de Noite e História de um Ateu.

Segundo o autor das obras, seus romances contam histórias da nossa humanidade que exploram nossas fraquezas e nossos dramas com um viés bem definido de espiritualidade.

“Trato de temas como aborto, drogas, traições, vida além da morte, reencarnação, Deus, riqueza, pobreza, enfim, meu desejo é entreter, mas também abrir espaço para reflexões”. Disse Manoel Lucena.

Na introdução do livro “Entre um Despertar e Outro” Manoel Lucena relata o momento em que decidiu começar a escrever seus romances.

Introdução

Nunca me passou pela cabeça que eu tivesse alguma qualidade de literato (concisão, clareza, estilo, correção gramatical, criatividade). Essa convicção mais se fortaleceu e se acentuou quando li o prefácio de Nelson Werneck Sodré à obra de Graciliano Ramos, Memórias do Cárcere. Já ali ficava evidente, cristalino mesmo, que literato é alguém do porte de Graciliano Ramos, cuja obra perpassa, intocada em suas bases, gerações e resiste às mudanças de contexto, permanecendo inabalável como obra de arte: arte literária. Ora, o próprio Graciliano reescrevia suas obras várias vezes. Do texto original muito era modificado e, não raro, reduzido, mesmo assim ele nunca estava satisfeito. Era um crítico veemente do seu trabalho. Então quem serei eu? Nesse aspecto ninguém. Porém, quando li o prefácio de Werneck já era tarde para desistir. Os conceitos que me vinham em sonho, por intuição ou das conclusões de leituras eu não tinha e não tenho o direito de retê-los só para mim. Era imperioso dividir, correndo o sério risco de nada acrescentar a ninguém, mas aí que bom, a humanidade estaria à minha frente. O contrário seria o cúmulo do egoísmo e eu não quero ser egoísta a esse ponto. É claro que tenho vergonha em partilhar esse escrito, não por disfarçado orgulho, mas pela ausência de talento que me permitisse servir ao leitor com doses generosas de um texto escorreito e agradável; que o prendesse desde o primeiro parágrafo e o levasse ao êxtase indizível de desejar que a estória não acabasse nunca. Despertei e essas palavras estavam pululando no meu cérebro – eu sonhara. Precisava despejá-las imediatamente antes que elas se esfumaçassem. À mão eu só tinha um celular e nele as escrevi e teria que encontrar espaço na introdução que já estava pronta. O meu desejo único é de ser útil e distrair, a um só tempo, além de dividir um entendimento de mundo que não é meu, mas que precisa urgentemente ser melhormente compreendido pelo retrovisor das vivências dos personagens.

Detalhes
Sempre me perguntei o que se passava na cabeça de alguém quando se apossava de uma caneta, de uma máquina de escrever ou, modernamente, de um computador e se punha a escrever: uma história, um conto, um romance. Pietro Ubaldi, na obra Profecias, nos brinda com a descrição do seu processo produtivo, mas lá a questão é mais severa, pois a sua obra transcende questões ordinárias e se aprofunda em aspectos basilares da existência humana e da concepção monista da obra de Deus, sem pieguices e sem crenças dogmáticas.
De toda sorte, Ubaldi me preencheu a lacuna dessa indagação: que inspiração move alguém que se debruça a escrever e passar adiante histórias, causos e saberes?
No meu caso, para matar curiosidades que reputo legítimas, há uma extrema solidão acompanhada por inspirações momentâneas, notadamente quando estou começando a dormir ou quando me chega o despertar. Mas não apenas isso. No livro “Fim de Noite”, viajava eu com minha esposa de Fortaleza para Natal. Almoçamos em Mossoró e quando retomamos a viagem entrei em estado de ebulição mental. Foram quase três horas dirigindo e compondo, mentalmente, quatro capítulos do livro. Ao chegarmos ao hotel, em Natal, sentei em uma mesa e escrevi, ininterruptamente por mais de cinco horas, despejando no papel àquilo que intuíra na viagem.
Quando estava concluindo o livro “Fim de Noite”, me peguei imaginando o que faria depois. Deitado, quase dormindo, descobri, havia uma sugestão quase audível: escreva a história de um ateu, afinal ser ateu é um processo delicado, difícil, de extrema consciência, no qual a certeza da finitude e do nada; da onipotência da matéria e do acaso; das mutações aleatórias que permitem a evolução das espécies e da inexistência do espírito como ator de nós mesmos, requer um equilíbrio mental e uma força de coesão tão poderosos quanto a ideia de Deus.
Mas, confesso: quando sento para escrever não tenho a menor ideia do que será o produto final. Deixo-me guiar pela intuição e, não tenho dúvidas, meu anjo da guarda está ali, me orientando, me puxando a orelha quando a coisa está pior do que poderia ser. Este livro também nasceu assim. Estava deitado e as ideias e o título foram surgindo. Escreva sobre um planeta parecido com a terra, utilizando personagens de outros livros seus, dê sequência ao pensamento da evolução no universo com seus infindáveis sistemas planetários. Não foi fácil. Mas conclui em 28 de março de 2017.
É salutar esclarecer que o processo de criação de uma história apresenta enormes desafios para quem deseja apresentar algo que, a um só tempo, entretenha e sirva a reflexões, além de se apresentar dentro de padrões ortográficos e gramaticais aderente às normas da língua. Isso não é fácil. São tantas as regras e as exceções que um simples corretor de texto é incapaz de suprir todos os pormenores e a obra sair perfeita. Meu coração se apertava todas as vezes que uma obra era editada e ao relê-la me deparava com erros ora de concordância, ora de ortografia. Depois fui asserenando meus ânimos quando encontrei esses mesmo equívocos em obras literárias de vulto – poderia ser acerenando? Claro que não, enfim ou em fim? De certo ou decerto, senão ou se não, nenhum ou nem um? Por que, porque, por quê, porquê. Percebem o tamanho da questão? Enfim! Se o mérito da história consome noites insones, angústias, ansiedade: isso está muito ruim, quem vai se interessar por algo tão insosso? Imaginem ter que contar uma boa história, explorar situações, casos e, ainda por cima, redigir tudo escorreitamente. Tudo isso para pedir que relevem os erros cometidos.

Para quem não conhece nosso conterrâneo, segue abaixo um breve histórico sobre sua vida.

Manoel Lucena saiu de Ouro Branco em 1973 para estudar em Patos-PB, na época o científico (segundo grau). Dois anos depois, em 1975, ele concluiu o curso secundarista em Natal. Manoel Lucena é Graduado em Direito pela Universidade de Fortaleza e Pós-graduado em Direito Processual pela Faculdade Christus também Fortaleza. Ele ainda chegou a cursar dois anos de Odontologia na UFRN; dois anos de Administração de Empresas na UNIFOR e três anos de Psicologia na UNIFOR. Atualmente nosso conterrâneo reside em Fortaleza.

Em sua vida profissional, Manoel Lucena exerceu vários cargos importantes, entre eles a Superintendência Regional Banco do Brasil no Ceará, Chefe da Fiscalização do INSS em Fortaleza, Delegado da Receita Previdenciária do Ceará, a Superintendência-adjunto da Receita Federal 3ª Região Fiscal (CE,PI,MA), ?Assessoria Especial do Ministro da Previdência Social, Diretor de Fiscalização PREVIC (Autarquia Federal) e
?Diretor do Banco do Nordeste.

Comentários desativados em Ourobranquense escreve seu quarto livro após aposentaria

Dr Araújo representa Ouro Branco em entrega de carros frigoríficos da Emater

O vice-prefeito Dr. Araújo esteve na tarde de ontem, quinta-feira, 30, na cidade de Currais Novos para representar o município de Ouro Branco na solenidade de entrega dos carros frigoríficos disponibilizados aos municípios, através do Projeto de Apoio e Modernização das Centrais de Comercialização, do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA-Compra Direta), contemplando, além de Ouro Branco, os municípios de Cruzeta, Currais Novos, Santana do Seridó, Serra Negra do Norte, Carnaúba dos Dantas, Florânia, Lagoa Nova, Santana do Matos, Tenente Laurentino Cruz e Campo Redondo.

Comentários desativados em Dr Araújo representa Ouro Branco em entrega de carros frigoríficos da Emater

Deputados derrotam proposta de Temer de cobrança de mensalidades de pós-graduação em universidades públicas

A Câmara dos Deputados rejeitou hoje (29) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 395, de autoria de Alex Caziani (PTB-PR). O projeto, aprovado em primeiro turno em fevereiro, autorizava a cobrança de mensalidades em universidades públicas para os cursos de pós-graduação lato sensu, também chamados de especialização. A matéria precisaria da aprovação de três quintos dos deputados da Casa para passar, ou 308 deputados. O resultado teve margem estreita: 304 foram favoráveis e 139 contrários, com duas abstenções.

Agora arquivada, a matéria foi alvo de polêmica ao longo da sessão extraordinária. O autor da PEC abriu as falas ao afirmar que “as universidades públicas, ao longo de todos esses anos têm se utilizado desses recursos para melhorar a graduação: tais verbas significam melhores laboratórios e ar-condicionado nas salas”, disse. Entretanto, a rejeição foi sustentada no discurso contra o que seria um passo para a privatização do ensino público.

O projeto já tinha sido discutido durante os governos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), de 1995 a 2002, e voltou à pauta após o impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT), com a posse de seu vice, Michel Temer (PMDB). Na época de FHC, o projeto contava com apoio da secretária executiva do Ministério da Educação (MEC), Maria Helena Guimarães de Castro, hoje no mesmo posto, anos depois.

Comentários desativados em Deputados derrotam proposta de Temer de cobrança de mensalidades de pós-graduação em universidades públicas

MPE pede cassação de Temer no TSE

O Ministério Público Eleitoral (MPE) vai recomendar a cassação da chapa formada por Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) no julgamento que terá início na próxima terça-feira 4 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A informação é do jornal O Estado de S.Paulo.

O parecer do MPE, assinado pelo vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, está sob sigilo, mas foi encaminhado ao TSE na noite de terça-feira 28. Segundo o Estadão, o documento indicará a necessidade de cassar a chapa Dilma-Temer por abuso de poder.

Se os ministros do TSE acatarem a tese do MPE, Temer será destituído e novas eleições serão realizadas. Como a remoção do presidente ocorreria após o início da segunda metade do mandato, a nova eleição seria indireta – apenas os deputados e senadores votariam.

Em uma manifestação prévia sobre o caso, feita em maio de 2016, Dino havia rejeitado o principal argumento jurídico da defesa de Temer. O peemedebista deseja separar suas contas das de Dilma Rousseff e atribuir eventuais irregularidades constatadas apenas a ela. A tese é a mesma do PSDB, que abriu a ação contra a chapa em 2014, mas que após o impeachment se tornou o principal sustentáculo de Temer.

O peemedebista conta, entretanto, com uma defesa que extrapola o campo jurídico. Dois dos julgadores no TSE terão seus mandatos encerrados em abril e maio e Temer, que nomeará seus substitutos, conta com votos favoráveis dos escolhidos. A defesa de Temer também pretende ingressar com recursos na Corte Eleitoral e no STF para empurrar a decisão final para a véspera das eleições de 2018, pressionando o TSE a não removê-lo do cargo em nome da “estabilidade política”.

O TSE fará quatro sessões plenárias exclusivas para o exame do processo,
sendo que duas ordinárias e duas extraordinárias. Na terça-feira 4, haverá uma sessão extraordinária às 9h e uma ordinária a partir das 19h. O julgamento prossegue na quarta-feira 5, às 19h, com uma sessão extraordinária. E, na quinta-feira 6, somente será realizada a sessão ordinária, às 9h. O rito da ação no Plenário seguirá a mesma metodologia adotada nos processos julgados nas sessões do tribunal.

Comentários desativados em MPE pede cassação de Temer no TSE

Seleção Brasileira de Futebol obtém classificação antecipada para Copa do ano que vem

Com a vitória da Seleção Brasileira – 3 a 0 – contra o Paraguai e a derrota do Uruguai – 2 a 1 – diante do Peru, o Brasil está agora com 33 pontos na tabela de classificação para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, garantindo com quatro rodadas de antecipação a vaga para a competição.

O jogo no Estádio do Corinthians, em Itaquera, bairro da zona leste de São Paulo, começou com o Paraguai marcando forte no campo do time brasileiro, que pacientemente tocava a bola, buscando a melhor oportunidade para atacar, o que aconteceu aos 33 minutos do primeiro tempo, quando Philippe Coutinho fez uma jogada individual pelo lado esquerdo, tabelou com Paulinho e tocou no canto direito do goleiro Antony Silva, marcando 1×0 para o Brasil.

Na segunda etapa, a Seleção voltou com Neymar se movimentando mais no ataque, conseguindo superar seus marcadoress com dribles. Numa dessas jogadas, o camisa 10 da seleção recebeu a bola no lado esquerdo, ainda no campo de defesa do Brasil, passou por dois paraguaios e, ao entrar na área, tocou para o gol, a bola ainda desviou num jogador de defesa do Paraguai e enganou goleiro, fazendo 2 x 0.

O terceiro gol brasileiro foi fruto de uma jogada pelo lado esquerdo, em que Marcelo, Philippe Coutinho e Paulinho tabelaram em velocidade, superando os defensores paraguaios, com Marcelo recebendo a bola na frente do goleiro Antony Silva, que nada pôde fazer, quando o lateral esquerdo brasileiro tocou a bola por cima dele.

O jogo terminou com a torcida, na Arena Corinthians, gritando o nome do treinador brasileiro e Tite agradecendo o apoio dos torcedores. Os jogadores se abraçavam em campo e acenavam para as arquibancadas. Tite soube da classificação para a Copa do Mundo quando dava entrevista para a imprensa, ao saber da vitória do Peru sobre o Uruguai. Ele agradeceu a Deus.

EBC

Comentários desativados em Seleção Brasileira de Futebol obtém classificação antecipada para Copa do ano que vem

Contas reprovadas: Ministério Público Eleitoral se manifesta pela rejeição das contas do PSD de Ouro Branco

O Ministério Público Eleitoral (MPE) se manifestou pela rejeição da prestação de contas relativa às movimentações de recursos financeiros na campanha eleitoral de 2016, do PSD em Ouro Branco. O partido é presidido pela ex-vereadora Eurinete Santos, que disputou o cargo de prefeita no pleito Municipal de 2016.

O Cartório Eleitoral apresentou relatório conclusivo de prestação de contas, conforme dispõe a Resolução 23.463/2015, atestando o descumprimento das normas em vista que a abertura de conta bancária específica extrapolou o prazo exigido pela mencionada Resolução, e que não foram apresentados após intimação, documentos que comprovem que as divergências na movimentação financeira registrada na prestação de contas e aquela registrada nos extratos eletrônicos não se referem a gastos de campanha eleitoral.

O documento, com o processo Nº 237-42.2016.6.20.0023, foi retornado com parecer ao MPE pela desaprovação das contas na segunda-feira, dia 20.

Acompanhando o Parecer Ministério Público e em conformidade com o parecer cartorário, a juíza Janaína Lobo da Silva Maia declarou reprovadas as contas do PSD/ OURO BRANCO, para que surtam seus efeitos legais.

Comentários desativados em Contas reprovadas: Ministério Público Eleitoral se manifesta pela rejeição das contas do PSD de Ouro Branco

Morreu “Dona Curta”, em Ouro Branco-RN

Francisca Lucena de Medeiros, mais conhecida como Dona Curta, morreu na tarde desta segunda-feira (27), aos 86 anos de idade. Dona curta faria aniversário no próximo domingo.

Há tempos Dona Curta sofria de problemas cardíacos e estava bastante debilitada nos últimos dias.

O corpo está sendo velado em sua residência, localizada na Rua Tenente Manoel Cirilo (“Rua de baixo”).

A missa de corpo presente será celebrada às 08h, na Igreja Matriz do Divino Espírito Santo. Em seguida será sepultado no cemitério público de Ouro Branco.

Tenho lembranças da participação de Dona Curta no tradicional coral da Igreja do Divino Espírito Santo, bem como de sua participação no Apostolado da Oração.

Apresento votos de pesar aos familiares. Que ela descanse em paz!

Nascimento: 02/04/1930
Falecimento: 27/03/2017

Comentários desativados em Morreu “Dona Curta”, em Ouro Branco-RN

Professor ourobranquense escreve artigo sobre o retrocesso da lei das terceirizadas

Thiago Lucena – Doutor em Ciências Sociais

O professor ourobranquense Thiago Lucena escreveu um artigo de opinião que retrata muito bem o prejuízo que toda classe trabalhadora sofreu na data de ontem (22), após a provação do lei da terceirização. Thiago Lucena é doutor em Ciências Sociais e lotado na Escola de Ciências e Tecnologia da UFRN.

Segue o artigo:
A MARCHA DO PASSO ATRÁS: SOBRE OUVIR A CONCLAMAÇÃO DE MARX
Por: Thiago Lucena
thiagolucenacts@gmail.com
“Trabalhadores do mundo, uni-vos!”
Esta frase escrita por Karl Marx no século XIX lamentavelmente reveste-se de sentido pleno uma vez mais quase dois séculos depois aqui no Brasil. De cunho forte e mobilizador ela conclama as forças da conjunção para que os assalariados (a grande maioria de nós) nos organizemos para exigir direitos – a duras penas e num processo histórico longuíssimo – conquistados.
Hoje, dia 23 de março de 2017 após uma noite em que ecoava a mais recente decisão do governo não legitimado pelo povo brasileiro (mas que ocupa o foro privilegiado do poder) a respeito da terceirização de atividades meio e fim, levantei sentindo-me impelido a reler Manifesto do partido comunista de Karl Marx e Friedrich Engels que, quando veio às ruas e praças da Alemanha em 1848, o Brasil ainda lidava com o trabalho escravo legalizado.
Marx e Engels percebiam que havia no espírito daquele tempo (e também de nosso tempo) uma simplificação das oposições de classes e essa simplificação revelava-se no delineamento de diferenças cada vez mais marcadas entre um lado e outro da população. “A sociedade toda cinde-se, cada vez mais, em dois grandes campos inimigos, em duas grandes classes que diretamente se enfrentam: burguesia e proletariado”. (MARX; ENGELS, 1997, p. 30). Por isso conclamavam todo o proletariado, ou seja, a maioria massiva da população trabalhadora em relação à burguesia, camada privilegiada composta pela minoria detentora da propriedade privada dos meios de produção, para a exigência de direitos e deveres portadores de dignidade do trabalhador. Tendo compreendido que “a burguesia despiu da sua aparência sagrada todas as atividades consideradas com pia reverência. Transformou o médico, o jurista, o padre, o poeta, o homem de ciência em trabalhadores assalariados pagos por ela.” (MARX; ENGELS, 1997, p. 32), Marx e seus companheiros percebiam que fazia-se urgente voltar atenção para essa camada da população.
De lá para cá o mundo pôde presenciar uma lenta, mas gradativa caminhada de conquista de direitos do trabalhador: redução de jornadas extasiantes de trabalho, aquisição de carteira de trabalho, instituição do salário, pagamentos compatíveis com algumas das atividades, capacitação para o trabalho, férias, licenças, fiscalização e justiça do trabalho, etc. No caso do Brasil somente 95 anos após a publicação do texto de Marx conquistamos a tão sonhada Consolidação das Leis do Trabalho, a CLT aprovada no Decreto-lei nº 5.452 e sancionada pelo então presidente Getúlio Vargas. A partir daí o assalariado passou a contar com determinadas “vantagens” que lhe conferiam certa segurança não apenas para a manutenção de sua vida, mas a preparação para um futuro uma vez que a CLT englobaria também a previdência.
Desde a segunda metade do ano de 2016 a classe trabalhadora brasileira tem lidado com um declínio, uma espécie de passo atrás na marcha da história com relação a tudo que conquistou. Trabalhadores (especialmente trabalhadores da educação) são espancados em praça pública por exigirem seus direitos básicos, a previdência tem sido alvo de uma pretensa e perversa reforma que amplia o tempo de contribuição, diminui o repasse futuro e extingue conquistas do âmbito rural, o Benefício de Prestação continuada (BPC) e, claro, prejudica enormemente o trabalhador que recebe os menores salários. Entre tantas outras estratégias passo atrás encontra-se aprovada na Câmara dos Deputados a partir da noite de 22 de março de 2017 um projeto enviado no ano de 1998 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso que permite a contratação de serviços terceirizados em qualquer tipo de atividade e mais, amplia de 3 meses para até 180 dias (ininterruptos ou não) o prazo de vigência de um contrato temporário. Em síntese, a proposta suspende os direitos trabalhistas e os substitui por indefinição, insegurança, rebaixamento sistemático de salários, estagnação, passo atrás.
Parece que estamos de novo em praça pública no ano de 1848, mas de forma piorada, pois já conhecemos o sabor do que é ter direitos trabalhistas e o prato nos está sendo tirado com um sorriso nos lábios amparado pela Constituição. O que fazer, se não repetir o padrão exigindo a retomada dos direitos?
Sim, é preciso que se diga que o Brasil e os brasileiros estão tendo que lidar com outras situações passo atrás como, por exemplo, a fragilização da indústria nacional, com atenção especial ao “problema” de nossas carnes (aqui produzidas, embaladas, etiquetadas, geradoras de empregos e comercializadas para dentro e fora do país). Assim como ocorreu com o algodão mocó do nordeste atingido pela praga da corrupção, mais forte que a praga do bicudo; assim como o café totalmente produzido aqui atingido pela praga da neocolonização econômica, mais forte que a ferrugem ou broca nas plantações de café. Essa problemática toda também esteve descrita por Marx no “Manifesto” quando diz que
a burguesia, pela sua exploração do mercado mundial, configurou de um modo cosmopolita a produção e o consumo de todos os países. Tirou à indústria o solo nacional onde firmava os pés. As antiquíssimas indústrias nacionais foram aniquiladas, e são ainda diariamente aniquiladas. São desalojadas por novas indústrias cuja introdução se torna uma questão vital para todas as nações civilizadas, por indústrias que já não laboram matérias-primas nativas, mas matérias-primas oriundas das zonas mais afastadas, e cujos fabricos são consumidos não só no próprio país como simultaneamente em todas as partes do mundo. Para o lugar das velhas necessidades, satisfeitas por artigos do país, entram [necessidades] novas que exigem para a sua satisfação os produtos dos países e dos climas mais longínquos. Para o lugar da velha autossuficiência e do velho isolamento locais e nacionais, entram um intercâmbio unilateral, uma dependência das nações umas das outras. (MARX; ENGELS, 1997, p. 33).
Construir uma imagem depreciativa dos produtos de alta qualidade genuinamente produzidos em uma nação não é nocivo apenas para os grandes empresários proprietários, mas também, e por desdobramento, é um passo atrás para toda uma classe trabalhadora que sobrevive dessas atividades. E, pior do que tudo isso, só aumenta a subserviência às grandes potências de uma nação que lutou corajosamente para deixar de ser colônia e, no caso do Brasil, que há pouco tempo corria para ser a 5ª maior economia do mundo.
O redelineamento das posições sociais que cada classe ocupa: os poucos que podem muito e mandam e os muitos que nada podem e obedecem está em pleno curso e ganhando força minando todas as áreas de atuação da vida social. Portanto, uma vez mais e, mais do que nunca, conclamamos: Trabalhadores do Brasil, uni-vos!

REFERÊNCIA

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. Lisboa: Edições Avante, 1997

Comentários desativados em Professor ourobranquense escreve artigo sobre o retrocesso da lei das terceirizadas

Blogue anuncia que Paixão de Cristo de Ouro Branco acontecerá esse ano

O Blogue Quipauá anunciou com exclusividade que A Paixão de Cristo de Ouro Branco voltará a ocorrer esse ano. O espetáculo, que está na sua oitava edição da nova produção, já foi assistido por mais de 15 mil pessoas desde que foi retomado pelo Diretor Reinaldo Freitas, com o grupo de atores atual.

A encenação da Paixão de Cristo em Ouro Branco-RN resgatou dramatização teatral de trinta e cinco anos de seu original, quando jovens católicos reproduziam os passos de Jesus, sua Morte e Ressurreição.

Paixão de Cristo em Ouro Branco-RN

O blogue lembra que nos anos 2000, a encenação ganhou projeção e proporções sem precedentes. Grandes cenários, aproximadamente 100 atores envolvidos, e cerca de 50 pessoas na produção. A última apresentação do espetáculo aconteceu no ano de 2015. A expectativa é de que o espetáculo deste ano movimente 150 pessoas e contará com nove palcos, figurinos novos e luxuosos, sonorização especial, iluminação personalizada e show pirotécnico.

Em contato com o blogue Quipauá, o coordenador do projeto, Reinaldo Freitas, adiantou que já está organizando a equipe que coordenará a encenação deste ano, que conta com envolvimento de toda a comunidade, trabalhando como voluntários e promovendo a integração social.

Papéis marcantes devem ser revividos por atores locais que marcaram a época na encenação. Espera-se que sejam convidados atores para outros papeis protagonistas. O curioso é que todo ano a encenação conta com novidades nos protagonistas, de modo que sempre há um clima de surpresa de quem serão os atores, cujos papeis são sempre renovados.

Esse ano o espetáculo será realizado na sexta-feira santa, dia 10 de abril, com início às 19 horas, no largo da Igreja Matriz do Divino Espírito Santo e conta com coordenação da Paróquia de Ouro Branco, tendo à frente o Padre Rivaldo Dantas, e com parceria o Projeto In Cantos do Ouro e patrocínio da Prefeitura Municipal. A encenação tem direção de Reinaldo Freitas e Lenilson Azevedo, e produção de Humberto Medeiros, Neto Freitas, Kiarely Martins e equipe associada.

Além de proporcionar um momento de vivência de fé, o evento atrai uma verdadeira multidão, que a cada ano aumentava, para prestigiar esta grande manifestação cultural de Ouro Branco-RN.

Comentários desativados em Blogue anuncia que Paixão de Cristo de Ouro Branco acontecerá esse ano

Lula e Dilma levam multidão à inauguração da transposição do São Francisco, na PB

Neste domingo (19), dia de São José, santo conhecido e admirado pelo povo nordestino por abençoar a região com a chegada da chuva, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ex-presidenta Dilma Rousseff, causaram uma verdadeira comoção em Monteiro, no inteiro da Paraíba, ao promoverem uma “Inauguração Popular da Transposição do São Francisco”.

Os dois visitaram, no começo da manhã, o reservatório instalado na cidade, que armazena as águas do São Francisco, no final dos 270 quilômetros do Eixo-Leste da transposição. Em seguida, cercados por uma multidão, que disputava cada aceno dos dois ex-presidentes, se dirigiram à praça central de Monteiro, onde cerca de 50 mil pessoas, segundo o Partido dos Trabalhadores, esperavam a comitiva.

O ato contou ainda com a presença de senadores como Lindbergh Farias, Gleisi Hoffmann e Humberto Costa, todos do PT, além do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), e um grande números de deputados federais e estaduais, que se revezaram nas falas em defesa das obras de transposição do São Francisco e a defesa da candidatura de Lula, nas próximas eleições presidenciais, em 2018.

O petista já declarou a disposição de concorrer ao pleito e inclusive lidera pesquisas de intenção de voto, divulgadas este ano. Mas o ex-presidente convive com o que ele chama de “perseguição” do Judiciário brasileiro, que o investiga em mais de cinco processos, três deles no âmbito da operação Lava Jato.

“Pai da transposição”

As obras da transposição foram iniciadas em 2007, na segunda gestão de Lula à frente da presidência – apesar de ter sido aventada ainda no tempo do Brasil Império e rechaçada por diversos presidentes da República.

“A transposição era uma obra de conveniência. Só defendiam quando precisavam de votos”, afirmou Lula.

O ex-presidente disse que, com a transposição, “esse povo pobre começou a ter esperança”, e lembrou que, sua infância, no sertão de Pernambuco, foi decisiva para que a obra fosse levada a cabo.
“Eu não pensei nessa obra porque eu sou letrado. Eu pensei porque, quando eu tinha sete anos de idade eu já carregava lata de água na cabeça, eu sei o que o povo sofre sem água”, apontou Lula.

Comentários desativados em Lula e Dilma levam multidão à inauguração da transposição do São Francisco, na PB

PF prende ao menos 20 funcionários públicos envolvidos na ‘Carne Fraca’

Operação foi deflagrada pela PF na manhã desta sexta-feira (17). Foram expedidos 309 mandados judiciais; ação envolve 7 estados.

Ao menos 20 funcionários públicos foram presos pela Polícia Federal (PF) nesta sexta-feira (17) suspeitos de envolvimento na Operação Carna Fraca, que investiga a venda ilegal de carnes. Foram emitidos 38 mandados de prisão – 34 contra funcionários públicos. A operação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.

Também foram presos executivos de grandes grupos frigoríficos, como o gerente de Relações Institucionais e Governamentais da BRF Brasil, Roney Nogueira dos Santos; o diretor da BRF André Luis Baldissera; e o funcionário da Seara, empresa da JBS, Flávio Evers Cassou. Segundo o Jornal Hoje, o dono do frigorífico Larissa, Paulo Rogério Sposito, também foi preso.

A operação foi deflagrada no início da manhã desta sexta, mas até as 15h a PF ainda não havia detalhado quem e quantos são os presos.

Além dos 38 mandados de prisão – 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária – foram emitidos 77 mandados de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão. As ordens judiciais são cumpridas em São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás.

Foram investigadas grandes empresas do setor, como a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, e também a JBS, que detém Friboi, Seara, Swift, entre outras marcas. Também há envolvimento, segundo a PF, de frigoríficos menores, como Mastercarnes, Souza Ramos e Peccin, do Paraná, e Larissa, que tem unidades no Paraná e em São Paulo. O G1 tenta contato com as empresas citadas.

Veja as empresas que são alvo de busca e apreensão na operação Carne Fraca:
– Big Frango Indústria e Com. de Alimentos Ltda.
– BRF – Brasil Foods S.A.
– Dagranja Agroindustrial Ltda./Dagranja S/A Agroindustrial
– E.H. Constantino
– Frango a Gosto
– Frigobeto Frigoríficos e Comércio de Alimentos Ltda.
– Frigomax – Frigorífico e Comércio de Carnes Ltda.
– Frigorífico 3D
-Frigorífico Argus Ltda.
– Frigorífico Larissa Ltda.
– Frigorífico Oregon S.A.
– Frigorífico Rainha da Paz
– Frigorífico Souza Ramos Ltda.
– JBS S/A
– Mastercarnes
– Novilho Nobre Indústria e Comércio de Carnes Ltda.
– Peccin Agroindustrial Ltda./Italli Alimentos
– Primor Beef – JJZ Alimentos S.A.
– Seara Alimentos Ltda.
– Unifrangos Agroindustrial S.A./Companhia Internacional de Logística
– Breyer e Cia Ltda.
– Fábrica de Farinha de Carne Castro Ltda. EPP

Segundo a PF, os frigoríficos investigados usavam produtos químicos para “maquiar” carne vencida, injetavam água para aumentar o peso dos produtos e, em alguns casos, foi constatada ainda falta de proteína na carne. A PF, no entanto, não detalhou ainda em quais empresas foram encontradas as irregularidades.

Comentários desativados em PF prende ao menos 20 funcionários públicos envolvidos na ‘Carne Fraca’